Cicatrizes e os tratamentos

As cicatrizes são uma resposta do organismo a uma lesão direta na pele, saiba quais os tratamentos mais indicados para minimizá-las.

Toda vez que a pele sofre um trauma, ocorre uma reparação do tecido e forma-se uma cicatriz. O modo como uma cicatriz se forma depende da idade, do local e do agente que causou a lesão.

Uma das queixas no consultório é quando a cicatriz fica inestética, ou seja, não fica bonita à pele, principalmente em áreas expostas como face e pescoço. Um dos motivos dessa cicatriz não seguir o padrão da pele existente é a região onde aconteceu o ferimento, além da genética do próprio paciente.

Cada pessoa tem uma programação genética para cicatrização. Algumas pessoas conseguem ter uma cicatrização mais próxima do tecido da pele que foi perdido, são as denominadas normais. Outras pessoas podem fazer uma cicatriz atrófica. Esse tipo de cicatriz acontece porque há perda das estruturas que apoiam a pele, a gordura e o músculo, formando um tipo de buraco na pele, deixando-a mais flácida do que o tecido que não foi lesionado. E há pessoas que podem ter uma cicatriz mais robusta, as hipertróficas. Isso acontece quando ou produz muito colágeno ou produz o colágeno de forma descontrolada. Essa cicatriz fica mais elevada em relação ao tecido da pele da pessoa.

Uma das mais conhecidas é a quelóide, que é uma cicatriz que não sabe parar de crescer, tornando-se maior do que própria lesão ou ferimento inicial. Esse crescimento desenfreado acontece porque o corpo não consegue parar de produzir colágeno novo.

Os métodos de tratamento dependem do tipo de cicatrização. O laser CO2, por exemplo, ajuda a remover as camadas mais afetadas, promovendo a renovação de colágeno e, portanto, mais pele. O peeling químico, que destrói a epiderme e regenera as camadas da pele, também ajuda a uniformizar o tom da cicatriz, muito eficaz para cicatrizes de acne. A luz pulsada também é uma outra opção para alguns tipos de cicatrizes.

Outro método é o microdermoabrasão, frequentemente utilizado para remoção de cicatriz. O dermatologista controla e define a profundidade que irá remover de camada da pele. Para o caso de quelóides o tratamento é mais específico.

Há também os enxertos que são pedaços pequenos da pele normal (não agredida) usados para substituir a região/pele que foi lesionada.

Outra cicatriz muito comum, principalmente em jovens, é a temível acne. Dediquei um post só sobre ela, leia aqui!

Quer saber mais sobre cicatrizes? Ligue para 2361-4595 e agende uma avaliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *